Todas as respostas para o juiz que quer explicações do presidente sobre a troca na Petrobras

23 fevereiro, 2021

O Juiz Federal André Prado de Vasconcelos, espelhando-se nos exemplos do STF e achando-se autoridade absoluta, deu um prazo de 72 horas para o Presidente da República, “explicar” por que é que trocou o comando da Petrobrás.

Não sou porta-voz do Presidente, mas ele não precisa explicar nada. Deixa que eu explico. Primeiro, senhor Juiz, porque ele quis e ninguém tem nada a ver com isso, muito menos o senhor.

Se está faltando trabalho na vara federal em que o senhor trabalha, a ponto de sobrar tempo para pedir que uma autoridade do Executivo “se explique”, então precisamos rever o seu salário.

Segundo, senhor Juiz, ele o fez porque essa é uma atribuição exclusiva do Presidente da República, e que, por estar escrito na Constituição Federal (o senhor conhece? É um livrinho!

Eu recomendo a leitura!) Ele não precisa dar explicações a ninguém, muito menos a um Juiz de primeira instância. Terceiro, senhor, juiz, não há ato ilícito algum para ser questionado, arguido, explicado ou interrogado.

A preocupação deveria ser com os que roubam o país e não com aqueles que querem impedir o roubo, o senhor não acha? Quarto, se cada Juiz do Brasil resolver “questionar” os atos executivos do Presidente da República, e o Presidente perder seu tempo tendo que “se explicar”, o país vai se tornar ingovernável.

Está certo que a justiça é lenta, não anda, juiz tem férias duas vezes por ano, muitos acumulam processos e muitos crimes prescrevem por falta de julgamento. Mas nós não queremos isso para o executivo causado por falta de tempo para trabalhar, por ter que ficar se explicando, não é mesmo?

Quinto, senhor Juiz, embora alguns juízes achem que no Brasil a pulga manda no cachorro, as coisas não funcionam assim. Presidente! Se há alguém para quem o senhor realmente deve explicações dos seus atos, é para os milhões de brasileiros que votaram no senhor. O resto que leia a Constituição ou entenda pelos jornais.

Marcelo Rates Quaranta

Comentarios