Tiroteio em conveniência deixa um PM baleado e um falso policial civil também ferido

A arma que portava pertence a um tio, agente penitenciário.

O policial militar Herberte Mota de Castro, 29 anos, sofreu uma tentativa de homicídio na madrugada desta segunda-feira (11).

Ele levou três tiros disparados por um homem identificado como Teilor Henrique Rodrigues Malagueta, 28 anos, que vestia uma camisa da Polícia Civil e portava uma pistola, em um bar localizado no cruzamento das avenidas Algodoeiro e Campos Sales.

De acordo com informações de testemunhas, o policial chegou no local com amigos e parentes e percebeu o suspeito trajando uma camisa da Polícia Civil e com uma pistola nas mãos apontando para algumas pessoas.

O PM chamou a atenção de Malagueta para o fato de estar fardado e com uma arma na mão em um local público.  Neste momento, segundo a polícia, o acusado começou a efetuar vários disparos contra Herberte, que revidou, atingindo Malagueta.

Porém, também foi baleado com tiros no braço, tórax e na perna. Ao cair no chão, alguém roubou sua arma e desapareceu na confusão.

O suspeito saiu correndo, a Polícia Militar foi acionada e rapidamente várias guarnições chegaram no local e saíram no encalço do elemento pela rua Angico, onde ele acabou preso. O acusado se identificou como policial civil. Ele também estava baleado na perna esquerda.

As partes envolvidas foram socorridas para o hospital João Paulo II para receber os primeiros socorros e, durante pesquisa, foi constatado que não se trata de um policial civil.

A arma que portava pertence a um tio, agente penitenciário. O tio foi à Central de Flagrantes e disse que o sobrinho havia pego a pistola escondido.

Fonte: Tudorondonia

Comentarios