São Paulo tem acordo amarrado e descarta risco de perder Volpi

São Paulo está satisfeito com Tiago Volpi até o momento e vê a torcida já se movimentar pedindo a permanência do goleiro após o fim desta temporada. Em dezembro, o empréstimo do Querétaro, do México, termina, assim como o prazo para o Tricolor exercer a opção de compra pelo arqueiro.

E a diretoria se mostra confiante de que, caso opte por investir em no atleta, conseguirá segurá-lo sem maiores problemas. Como o UOL Esporte contou em abril, o preço fixado para o São Paulo comprar Volpi do Querétaro é de 5 milhões de dólares (na cotação atual, R$ 18,7 milhões).

Para evitar que o fluxo de caixa impedisse a compra dentro do prazo, com esse valor reduzido, o Tricolor já acertou com os mexicanos que o pagamento da eventual compra seria parcelado. O que Cuca mudou na defesa do São Paulo e pouca gente percebeu.

 Por que Corinthians, Grêmio e São Paulo podem diminuir “abismo” no futebol Sem isso, haveria o risco de um pedido de pagamento à vista diante da valorização do goleiro, o que poderia tornar o negócio inviável caso o São Paulo não pudesse reunir uma quantia alta de uma vez.

Outra forma de tornar o cenário mais seguro foi deixar tudo amarrado com Volpi para um contrato definitivo. Ou seja, o goleiro já sabe quanto vai ganhar, os bônus que pode receber e os outros direitos que passaria a ter após ser comprado pelos são-paulinos. Isso tudo sem precisar romper o vínculo trabalhista atual para a confecção de um novo acordo.

Fonte: Uol/Esportes

Comentarios