Quase 21 mil pessoas são atendidas com medicamentos da Coordenadoria de Gestão e Assistência Farmacêutica

Com foco na descentralização, a Farmácia Especializada trabalha para contribuir com melhor atendimento e acesso ao tratamento de qualidade para todos os pacientes que tenham alguma das doenças crônicas definidas pelo Ministério da Saúde.

Responsável por distribuir, programar e planejar a aquisição de medicamentos, para as unidades de saúde hospitalares e atendimento laboratorial, a coordenadoria recebe as medicações com características diferenciadas para tratamento de doenças crônicas, definidas pelo Ministério da Saúde e regidas por protocolos de doenças estabelecidas pelo estado de Rondônia.

A Farmácia Especializada é destinada ao atendimento do componente especializado e das patologias que o Estado entendeu como necessidade, que são medicamentos com maior valor financeiro atribuído, financiados pelo governo federal, governo de Estado e prefeitura.

Dispensados de forma criteriosa, o paciente é cadastrado mediante documentos e laudos médicos que comprovem efetivamente o diagnóstico, conforme os protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas do Ministério da Saúde.

São 175 protocolos de doenças atendidas pelo serviço, entre as doenças com maior número de pacientes em Rondônia estão asma grave, doença pulmonar obstrutiva crônica, esquizofrenia, insuficiência renal crônica, osteoporose, entre outros.

Até este ano, 32 mil pacientes estão cadastrados, porém nos últimos 90 dias, estão ativos 20.699, em todo o Estado, cerca de 11 mil pacientes só na capital Porto Velho.

“Não é que a população esteja mais doente. Atribuímos a evolução à melhoria dos serviços, ao acesso ao diagnóstico e à disponibilidade ao tratamento, com regularidade no fornecimento do medicamento”, disse a coordenadora da farmácia, Maíra Oliveira Nery.

O paciente que reside no interior busca na farmácia do município, que encaminha toda a documentação à regional de saúde, que por sua vez direciona à capital, para retirada do medicamento. Em 2019, a coordenadoria iniciou um processo de descentralização do componente especializado, para que a regional de saúde não precise se deslocar a Porto Velho para retirar o medicamento.

Vilhena e Ariquemes já estão contempladas com o novo procedimento, onde o medicamento é dispensado uma vez ao mês, em até 24 horas, para a regional de saúde, que disponibiliza ao paciente, com o intuito de aproximar o tratamento, sem maior deslocamento.

Fonte: Secom/RO

Comentarios