Protocolo de ações emergenciais é discutido para frear invasões nas terras indígenas em Rondônia

Representantes dos povos indígenas expressaram o temor com a gravidade do problema.

A operação desencadeada pela Polícia Federal no distrito de União Bandeirantes, tendo como objetivo combater exploração ilegal da floresta nativa localizada no interior da terra indígena Karipuna, reacendeu as discussões acerca de um problema que vem se arrastando há anos.

A invasão de garimpeiros, madeireiros e posseiros nas terras de comunidades indígenas no Estado. O assunto foi maciçamente discutido durante a reunião ocorrida no Palácio Rio Madeira, na tarde de terça-feira, 29, com a presença do governador coronel Marcos Rocha, do vice-governador José Jodan.

Também participaram o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), general Franklimberg de Freitas, da secretária de Assistência Social, Luana Rocha, bem como outras autoridades e representantes de etnias indígenas.

As discussões trouxeram novamente à tona a problemática que há anos, segundo os próprios representantes das etnias Karipuna, Karitiana, Uru-eu-wau-wau, definiram como alarmante.

Eles chamaram a atenção para a mesa de discussões ao artigo 2º do Estatuto Índio que define à União, aos Estados e aos Municípios, bem como aos órgãos das respectivas administrações indiretas, nos limites de sua competência, para a proteção das comunidades indígenas e a preservação dos seus direitos

Fonte: Paulo Ricardo Leal

Comentarios