Pandemia agrava situação de idosos, 600 mil deixam o mercado de trabalho

18 outubro, 2020

Segundo pesquisadora, trabalhadores mais velhos que estão saindo de seus empregos dificilmente conseguirão recolocação

Trabalhadores com mais de 60 anos lidam com letalidade maior da Covid-19 e são obrigados a ficar mais tempo no isolamento social.

Os idosos, que são os mais vulneráveis à Covid-19, têm de lidar com outro problema além da precariedade da saúde pública: o desemprego.

De acordo com estudo da pesquisadora Ana Amélia Camarano, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 600 mil trabalhadores com 60 anos ou mais foram para a inatividade entre o fim de 2019 e o segundo trimestre de 2020.

E mais 605 mil foram demitidos. A pesquisadora explica que esta parcela da população, além da letalidade maior, é obrigada a ficar no isolamento.

Ana Amélia destaca que, quando a vacina contra a Covid estiver pronta e estes trabalhadores estiverem imunizados, terão de lidar com outro problema, a lacuna de conhecimento por conta do período longe de suas funções.

Assim, dificilmente conseguirão recolocação profissional. Marion Aramaqui, comerciária de 60 anos, foi afastada de suas funções em meados de março.

Além de idosa, ela também é asmática. Depois do período longe de suas funções, a loja onde ela trabalhava decidiu demiti-la em setembro.

O caso de Marion reflete boa parte da situação dos idosos, especialmente no setor de serviços, onde eles são mais numerosos.

Por: Cássia Almeida e Carolina Nalin*

Comentarios