Milhares protestam em Cuba, em meio a recorde de casos de Covid-19 e escassez de luz e comida

12 julho, 2021

Adotando tom combativo, presidente Miguel Díaz-Canel culpa bloqueio dos EUA e convoca ‘revolucionários’ a irem às ruas em defesa do governo.

Milhares de cubanos foram às ruas neste domingo em um protesto contra o governo e a crise socioeconômica que a ilha atravessa, diante do agravamento da pandemia da Covid-19 na ilha e da escassez de alimentos e remédios.

A dimensão exata das manifestações não ficou clara, mas trata-se de algo raro no país, onde o regime de Partido Comunista único considera a oposição organizada ilegal. Em um pronunciamento à nação, o presidente Miguel Díaz-Canel adotou um tom combativo, e tropas especiais das Forças Armadas foram vistas nas ruas de Havana.

Culpando os EUA pelos protestos e pela situação socioeconômica da ilha, ele disse que haverá uma “resposta revolucionária” e convocou “todos os comunistas a irem às ruas” para enfrentar as “provocações” incisivamente e com “valentia”:

Terão que passar por cima de nossos cadáveres se querem enfrentar a revolução. Estamos dispostos a tudo, disse o presidente. Não vamos permitir que nenhum contrarrevolucionário, mercenários vendidos ao império americano desestabilizem o país.

Fonte: O Globo e agências

Comentarios