Deputado Anderson questiona risco de vazamento de dados

Cumprindo seu papel legislativo de fiscalização do bom andamento das atividades públicas desempenhadas no Estado de Rondônia, o deputado estadual Anderson Pereira (PROS), presidente da Comissão de Segurança Pública da ALE-RO, através de requerimento, solicitou informações sobre a forma ao qual detentos estariam prestando serviço administrativo na Secretaria de Justiça (Sejus).

De acordo com Pereira, a proximidade dos reclusos a documentos restritos, pode identificar detalhes da vida pessoal de agentes penitenciários e demais servidores, sendo motivo de preocupação, para possíveis ataques.

“Vale ressaltar que o trabalho executado pelos apenados junto aos órgãos públicos é uma forma de ressocialização, bem como de colaboração ao desempenho das atividades do Estado.

Contudo, a necessidade de cautela ao designar as tarefas a serem desempenhadas, para que não resulte em risco de divulgação ou aproveitamento das informações”, afirmou Anderson.

Em resposta ao questionamento do parlamentar, a secretária da Sejus, Etelvina Rocha, afirmou que atualmente apenas duas gerências do órgão contam com trabalho de detentos, as gerências de Reinserção Social e Saúde.

Também foi esclarecido ao deputado, que os presos não possuem acesso a documentos restritos e não existe motivo para qualquer receio em relação ao acesso a informações de forma indevida.

Após garantia da titular na pasta, que não há risco de vazamento de informações, Anderson seguirá acompanhando o andamento dessas atividades, visando o resguardo da integridade dos profissionais que trabalham dentro e ao entorno do sistema penitenciário.

“Seguirei desempenhando meu papel de estar ao lado de quem lida diariamente com a missão de manter nossa sociedade à salvo de criminosos condenados, todos os procedimentos que envolvem esse tipo de atividade requerem bastante cautela, por isso sempre estarei em defesa da categoria”, concluiu Anderson.

Fonte: Assessoria/Parlamentar

Comentarios