Campanha disseminada no WhatsApp enfraquece vereadores que buscam reeleição no Cone Sul

Dos 13 parlamentares de Vilhena, 11 devem tentar permanecer nos cargos.

Já desgastados politicamente em tempos de marcação cerrada nas redes sociais, os vereadores do Cone Sul que tentarão se reeleger no ano que vem enfrentarão um desafio a mais: a campanha em grupos no WhatsApp para que nenhum deles seja mantido no cargo.

Em Vilhena, maior cidade da região, com exceção da professora Valdete Savaris (PPS), que não quer concorrer, e Marcos Cabeludo (PHS), que não pode, todos os demais parlamentares devem buscar um novo mandato em 2020.

Ao contrário da legislatura anterior, marcada por prisões e escândalos, a atual é relativamente bem-comportada e, até agora, nenhum edil teve seu nome envolvido em casos de corrupção.

O problema para os com mandato é a insatisfação generalizada com a política, turbinada por militantes virtuais, muitos deles já pensando em herdar as vagas deixadas.

Esses ativistas são responsáveis por criar memes e até fake News contra os futuros adversários, tentando fazer com que eles cheguem enfraquecidos à disputa.

O que não tem sido difícil, uma vez que, em boa parte da sociedade, exercer cargos eletivos não passa de um privilégio.

A imagem compartilhada através do aplicativo retrata estes novos tempos de muita cobrança e pouca paciência com os detentores de mandato, que estão reforçando ações e visitas às suas bases, na tentativa de minimizar os estragos.

Fonte: Folha do Sul

Comentarios