Atividades de educação ambiental são promovidas pela Sedam em comunidades indígenas de Rondônia

10 maio, 2022

O projeto desenvolvido pela Sedam visa cumprir o que determina a Política Nacional de Gestão Ambiental em Terras Indígenas – PNGATI

Visando implementar ações conjuntas de conservação, recuperação e uso sustentável de recursos naturais, o Governo de Rondônia, por meio da Sedam, promove o Programa Estadual de Educação Ambiental em Terras Indígenas de Rondônia – Peatir. A ação foi realizada nas Terras Indígenas do Rio Branco no município de Alta Floresta d’Oeste; e Sete de Setembro, no município de Cacoal.

O principal objetivo é desenvolver ações que integrem os indígenas, suas culturas e o meio ambiente. O projeto desenvolvido pela Sedam visa cumprir o que determina a Política Nacional de Gestão Ambiental em Terras Indígenas – PNGATI, que está atualmente na primeira fase.

O Peatir pretende desenvolver, além do trabalho educativo com adultos e crianças, orientações sobre atividades de extrativismo, recuperação de áreas degradadas, queimadas, recuperação de nascentes, mudanças climáticas entre outras pautas que geram renda, saúde e bem-estar às comunidades indígenas.

A ação começou com uma palestra sobre conscientização ambiental e os danos causados ao meio ambiente pelo descarte irregular de lixo para mostrar aos participantes como fazer o reaproveitamento. A assessoria de mudanças climáticas abordou a temática mostrando como pequenas ações podem contribuir para uma produção mais sustentável em relação ao clima. A equipe também visitou o viveiro de mudas da comunidade e as nascentes recuperadas.

“Percebemos que esta ação é um momento de troca de experiência, aprendizado e união dos comunitários. Eles conseguiram enxergar que ainda é possível resgatar a sua cultura alimentar tradicional”, afirmou a Coordenadora de Educação Ambiental, Deigna Lais Oliviak.

Para o gerente de Povos Indígenas da Sedam, Rubens Naraikoe Suruí, que vem atuando com ações de valorização e resgate da cultura tradicional, este projeto vai promover uma reeducação ambiental. “A ideia é dar continuidade com este projeto levando essas experiências para outras terras indígenas e ouvir as demandas e os anseios da comunidade”, explicou.

Um dos pilares do projeto é conscientizar os povos indígenas sobre os problemas ambientais e como ajudar a combatê-los, conservando as reservas naturais. “Sabemos que está se aproximando o tempo de derrubadas e queimadas, entre outras coisas que afetam diretamente o meio ambiente, então, é preciso conscientizar a população para evitar poluir o ambiente em que vivemos” completou o gerente.

Por Jaqueline Damaceno/Secom

Comentarios