Até Índios “importados” são motivo para impedir que o Grafeno possa ser explorado

14 fevereiro, 2021

Nossas riquezas naturais são o exemplo claro de que poderíamos, há décadas, sermos um Brasil diferente, mais justo, sem o imenso abismo que separa milionários e ricos dos pobres e miseráveis.

Como não mandamos no que é nosso e apenas uma casta decide o que é bom ou não para todos, concluíram, por nós, que não podemos usufruir do nosso ouro, do nosso diamante (só dando dois das dezenas de exemplos).

Embora bilhões de reais tenham sido levados, como contrabando, enriquecendo estrangeiros e brasileiros corruptos, enquanto muita gente que poderia ser beneficiada por essa maravilha que a natureza nos presenteou, continue passando fome.

Os índios foram condenados à miséria eterna, porque teóricos, apaixonados por ideologias que não são nossas, alguns ingênuos mas também muitos, mas muitos malandros mesmo, decidiram isso.

Só os caciques têm direito a casas com ar condicionado e camioneta importada, a celulares e a discursos em outros países, defendendo ações das ONGs internacionais. Os sem poder nas tribos continuam mofando na sua pobreza.

Só servem mesmo para pano de fundo de discursos ideológicos de que eles devem mesmo é se manter assim, miseráveis. Até que morram. Várias outras riquezas naturais do nosso país continuam inacessíveis a nós, brasileiros.

Porque ou são “protegidas” por ONGs e instituições a elas aliadas, com leis feitas sob medida para isso por parceiros ou ainda, porque elas estão em “áreas indígenas”, que, eles exigem, têm que permanecer intocada.

O caso do grafeno é bem típico e resume tudo isso. Derivado do grafite (em 15 quilos, se retira 1 quilo do composto de carbono, que hoje, no mercado internacional, pode ser vendido a algo em torno de 15 mil dólares ou 84 mil reais.

Somos o terceiro país do mundo nessa riqueza descoberta em 2006 e que tem mil utilidades, principalmente na área eletrônica. O que se pode fazer com grafeno? Entre outras coisas, uma bateria de celular que carrega mil vezes mais rápido que as atuais; equipamentos eletrônicos, como, por exemplo, ter um computador no espelho do banheiro. Pode limpar a água do mar do sal, tornando-a potável.

É 200 vezes mais resistente que o aço. Por que temos dificuldade de exploração? Porque cada vez que há uma mina de grafite (grafeno) encontrada, imediatamente a área é declarada como “indígena”, inclusive com índios “importados” do Paraguai, como aconteceu em São Paulo.

Então, a partir daí, o produto fica inacessível para exploração. Os mesmos de sempre continuam mandando no nosso Brasil, Vamos aceitar isso até quando É esse o país que queremos?

Sérgio Pires

Comentarios