“Administração Participativa” apoiando a agricultura familiar em Espigão do Oeste

Inicialmente o projeto visa atender aos produtores no seguimento de hortifrutigranjeiros.

Esta semana a “Administração Participativa” deu mais um passo rumo a valorização da “Agricultura Familiar”, um seguimento com acentuada participação na economia local com a produção em escala comercial de hortifrutigranjeiros envolvendo centenas de pequenos produtores no interior.

Após determinação do prefeito Nilton Caetano (PP), a secretaria municipal de agricultura (Semagric) estará adquirindo cerca de 200 toneladas de adubo orgânico, para serem distribuídos para os feirantes. Nessa primeira etapa estarão sendo contemplados cerca de uma centena de feirantes devidamente cadastrados no programa produtivo.

Esta semana o prefeito Nilton Caetano acompanhado pelo secretário de agricultura José Sampaio Leite (Espeto) e o diretor Agostinho Matos, visitou a empresa que produz o adubo orgânico na cidade de Cacoal. Segundo Caetano para iniciar esse programa a administração estará distribuindo entre 100 a 3.000 quilos aos produtores cadastrados.

É um projeto que tem como objetivo promover a melhoria da terra cultivada e consequentemente promover o aumento da produtividade como também a qualidade dos legumes e hortaliças a serem produzidos com a utilização desse composto de adubo orgânico”, pontuou o prefeito. Por sua vez o secretário de agricultura “Espeto” enfatizou.

“Essa é mais uma iniciativa que estamos promovendo para beneficiar os nossos produtores, principalmente aqueles que atuam no seguimento da Agricultura Familiar em suas propriedades de pequeno porte”, Segundo Espeto o projeto tem a intenção de se diversificar e passar a atender uma gama maior de produtores no município.

O prefeito Nilton Caetano já está em entendimento com a empresa e o setor para que possamos programar para o mês de março um “Dia de Campo” para que o produto seja apresentado ao setor rural. “Vamos trabalhar nessa programação para mais produtores possam ter acesso a esse produto orgânico e assim melhorar suas produtividades”, concluiu Espeto.

Autor: Luizinho Carvalho/Cientista Social

Comentarios