10.000 exames esquecidos: coordenadora revela descaso de pacientes atendidos no laboratório do Regional

Apesar de filas para realizar exames, pacientes não se interessam em buscar resultados.

Caixas e mais caixas de exames estão acumuladas no Laboratório Municipal de Análises Clínicas do Hospital Regional de Vilhena (HRV).

Nelas estão cerca de 10 mil exames feitos pela unidade que não foram buscados pelos pacientes. Inaugurada recentemente, a estrutura do novo laboratório aumentou a capacidade de atendimento consideravelmente.

“Adquirimos vários aparelhos novos nos últimos meses, o que faz com que cada paciente agora possa realizar vários exames a mais. Isso toma mais tempo nosso, mas também oferece atendimento de maior qualidade.

Em breve teremos contratação de biomédicos para o laboratório e poderemos dobrar as 25 fichas externas para 50”, explica o secretário de Saúde, Afonso Emerick.

Ao mesmo tempo, o investimento pode não ter resultado na saúde municipal se os pacientes não retornarem ao laboratório para buscar os resultados e darem continuidade no tratamento.

Atualmente há exames de 1.296 pessoas esperando para serem buscados. Considerando que cada um dos pacientes realiza, em média, 7 exames por vez, há aproximadamente 10 mil resultados diferentes de dezenas de exames diferentes realizados.

De acordo com a coordenadora do Laboratório, Roberta de Mattos, os exames realizados na unidade têm valor elevado. “Na rede particular alguns exames desses custam várias centenas de reais.

Dessa forma, há pelo menos meio milhão de reais parados em exames não entregues.

Nós avisamos e informamos os dias para todos retornarem. Infelizmente, muitos dos exames e laudos já venceram e precisam ser refeitos, gerando mais gastos e demora”, lamenta a coordenadora

Roberta lembra ainda que a demanda do laboratório segue a necessidade do Hospital. “Muitas vezes temos que paralisar o atendimento externo para atender várias urgências e emergências do Pronto Socorro ou da UTI”, salienta.

Desde que o novo prédio do laboratório inaugurou, neste ano, foram abertas mais 10 fichas para gestantes nas terças-feiras, além de coleta de 25 fichas externas para as grávidas no sábado.

A melhora nos aparelhos permitiu também que o laboratório pudesse realizar mais atendimentos para o público interno, do Hospital. São atualmente centenas de pessoas atendidas pelo laboratório todos os dias, tanto os do Pronto Socorro, UTI, internados, indígenas, Instituto do Rim, programa Melhor em Casa, sistema penitenciário e demais unidades de saúde do município.

Houve recente melhora no prazo de entrega dos exames também, o que rendeu até mesmo elogios de Porto Velho em carta enviada à Prefeitura de Vilhena.

Antes os exames de pré-natal das gestantes eram enviados para a capital, o que causava demora de até 60 dias no retorno dos resultados. Agora são feitos na cidade e demoram uma semana, apenas.

Fonte: Semcom/Vilhena

Comentarios